Os 10 Melhores Métodos de Estudo | WiDoctor
WiDoctor

Os 10 Melhores Métodos de Estudo

     A Association for Psychological Science publicou recentemente um trabalho realizado por um grupo de psicólogos, no qual foram analisadas 10 técnicas de estudo, sendo estas classificadas de acordo com sua eficiência: utilidade baixa, moderada e alta. Durante a preparação para concursos, dicas como estas podem ser uma “mão na roda”! Então vamos lá!

 

Os 10 Melhores Métodos de Estudo

     A Association for Psychological Science publicou recentemente um trabalho realizado por um grupo de psicólogos, no qual foram analisadas 10 técnicas de estudo, sendo estas classificadas de acordo com sua eficiência: utilidade baixa, moderada e alta. Durante a preparação para concursos, dicas como estas podem ser uma “mão na roda”! Então vamos lá!

 

     As técnicas consideradas de utilidade alta foram:

Realização de testes práticos: grandes exemplos são os simulados. Além disso, a pesquisa aponta duas variáveis que aumentam ainda mais a eficiência da técnica: quantidade (quanto mais testes, melhor) e repetição do teste quando não acertamos a questão.

                                                      

 

Prática distribuída de estudos: consiste na programação de um cronograma de estudos. Principalmente nos concursos que exigem grande quantidade de matérias, a prática do “estudar tudo de uma vez” tem efeitos péssimos a longo prazo. Portanto, planeje-se a longo prazo, estabelecendo metas diárias de estudo.

                                                     

 

     Agora passaremos para as técnicas descritas como de utilidade moderada:

 

Elaboração de perguntas: consiste em criar perguntas que expliquem um fato, gerando explicações mais complexas sobre a veracidade do assunto. Sempre pergunte-se: “Por que isso é verdade?” ou “Por que isso faz sentido?”.

                                                   

 

Explicar o conteúdo para si mesmo: trata-se de explicar como os conteúdos se relacionam entre si ou simplesmente explicar o passo a passo da lição. Quando terminamos de estudar determinado conteúdo, podemos ter certeza que estamos dominando-o completamente quando somos capazes de ensiná-lo para alguém (desse modo, atue simultaneamente nos papéis de aluno e professor).

 

Estudo intercalado de diferentes conteúdos: misturar diferentes matérias em uma mesma sessão de estudos ajuda a fixar o conteúdo, uma vez que o cérebro é obrigado a retomar um tema visto anteriormente, acessando a memória de longo prazo.

 

     Por fim, as técnicas de baixa utilidade:

Resumo: o grande problema desta técnica é que nem sempre o estudante consegue saber quais são as ideias principais de um texto, correndo o risco de simplesmente reescrever o texto todo com outras palavras.

                                            

 

Grifar textos: compartilha o problema descrito anteriormente. Além disso, muitos estudantes grifam grandes blocos. Esse excesso de conteúdo prejudica a capacidade de relembrar o que era de fato importante.

                                                              

 

Associação mnemônica: são as famosas associações, sejam com frases ou imagens. Entretanto, nem todos os conceitos podem ser associados a algo… Também não parece ser muito eficiente para a memorização a longo prazo.

 

Associação de imagens com textos: consiste, resumidamente, na elaboração dos mapas mentais. A técnica ajuda a organizar o assunto de uma maneira mais clara. Na realidade, foi classificada como de baixa utilidade porque os pesquisadores não conseguiram identificar com clareza em quais situações o método dá certo.

                                                   

 

Releitura: consiste na releitura de um texto, logo após uma leitura inicial, com o objetivo de relembrar os detalhes. Apesar da fácil execução, a técnica foi considerada muito ineficaz, quando comparada às demais. Na verdade, recomenda-se que a pausa entre a leitura e a revisão seja um pouco maior (alguns dias).

 

 

     De posse destas informações, devemos utilizar nosso senso crítico: uma técnica pode ser muito boa para um, e um desastre para outro. Confesso que sou adepto de todas as técnicas descritas como de baixa utilidade, mas sempre foram muito úteis para mim. Procure técnicas que se adequem à sua realidade, tentando aproveitar ao máximo de todas as dicas possíveis! E vocês, quais são as técnicas de estudo que costumam usar? Deixe seu comentário, sua participação é muito importante! Até a próxima!

 

Igor Torturella

Referências:

1)      Guia do Estudante – Editora Abril

2)      www.psychologicalscience.org

Sobre Igor Torturella

Acadêmico de medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

© Copyright 2012-2015 - WiDoctor. Todos os direitos reservados.